Loading

Mara Santos

Entre o Sono e Sonho - Antologia de Poesia Contemporânea, Vol. VIII

Entre o Sono e Sonho - Antologia de Poesia Contemporânea, Vol. VIII

2017

Imenso Azul, Codex
 
O mundo gira sem a sua dor.
Espero que aí esteja bem melhor
Na avenida dos ideais humanos e justos
Em sonhos livres, finalmente sem custos
Na harmonia da igualdade, entre toda a humanidade
Em melodias de inspiração divina, que só o imenso azul ensina
No paraíso desencarnado, rodeado de paz por todo o lado
 
E eu por cá a cantar a sua música:
 
Tenho motivo, para ser altivo, sei o que valho.
Sou produtor, tenho valor, porque trabalho.
Meu ideal é afinal humano e justo
Para o conquistar, hei-de lutar, a todo o custo
 
Por toda a parte, homens com arte, têm privações
E nos casinos, certos meninos, gastam milhões
A tua féria, é uma miséria, não dá para o pão
O teu suor, não tem valor, para o patrão
 
Ódio profundo, divide o mundo, em guerra atroz
E o futuro, será mais duro, para todos nós
Desunidos, sereis vencidos, isso é fatal
Pelos senhores, os detentores, do capital
 
Desde criança, que tenho a esperança, robusta e forte
Que no porvir, há-de surgir, para nós mais sorte
Quando na Terra, findar a guerra, com seus horrores
Dêem-se as mãos, somos irmãos, trabalhadores
 
 (Homenagem a José Joaquim Bento Feliciano, meu avô!)

Chiado Books




Nenhum comentário


Deixe o seu comentário: